Escala de plantão: saiba como não deixar o time entrar em burnout

A Síndrome de Burnout pode ser associada a sentimentos de exaustão, negatividade e impotência do indivíduo em relação ao seu trabalho, e é uma preocupação cada vez mais real e presente em empresas, especialmente naquelas que usam escala de plantão e não podem se dar ao luxo de ficar sem uma equipe preparada para emergências.

Hoje, devido à alta dependência de serviços de tecnologia para a vida pessoal, profissional e financeira de milhões de pessoas, o burnout também tem sido discutido com grande atenção nas empresas do segmento de TI. 

Por isso, neste conteúdo, buscamos divulgar algumas informações importantes para evitar que o burnout interfira no trabalho e prejudique clientes, colegas, acionistas e, é claro, a própria equipe. 

Além disso, a seguir, explicamos melhor o que é burnout e o que isso tem a ver com a escala de plantão, como gerenciar a escala e quais outras medidas podem garantir o bem-estar da sua equipe. Confira!

Burnout: o que isso tem a ver com a escala de plantão?

Gerenciar a escala de plantão é uma atividade de rotina da área de de recursos humanos que, em princípio, pode parecer simples, mas que envolve, ou deveria envolver, a consideração de diversos fatores. 

Profissionais que trabalham em plantões estão, normalmente, mais suscetíveis à pressão e exaustão. Assim, os casos que se agravam sem que a equipe de RH perceba podem resultar em burnout do colaborador, criando uma reação que pode desencadear diversas circunstâncias desagradáveis para a empresa.

Por isso, as empresas que lidam com plantões precisam monitorar e cuidar da saúde emocional da equipe para garantir a estabilidade desejada no trabalho.

A realidade, porém, é que muitas empresas ainda gerenciam suas escalas de plantão com pouco rigor, usando planilhas de Excel que podem se tornar um pesadelo quando é necessário lidar com muitos funcionários e realizar, por exemplo, simples substituições na escala.

Como medir o burnout para gerenciar a escala de plantão?

Com o crescente interesse das empresas e corporações sobre o tema do burnout e suas consequências, já existem alguns métodos para medir o burnout nas equipes e usar as informações obtidas para melhorar o gerenciamento das escalas de plantão.

Um estudo de 1981 sobre burnout, produzido por Christina Maslach, desenvolveu métricas para aferir o burnout em indivíduos. Como resultado, o trabalho chegou ao chamado Maslach Burnout Inventory (MBI), ou Inventário de Burnout de Maslach, que indica e mede o nível de burnout se baseando em três critérios:

  • Exaustão ou total falta de energia para trabalhar.
  • Sensação de cinismo ou negatividade em relação ao trabalho ou a uma atividade.
  • Sensação de impotência ou de sucesso reduzido no trabalho.

Uma pontuação negativa nos três critérios acima indica que a pessoa está em processo de burnout e precisa dar mais atenção para a saúde mental e emocional.

Logo, uma das formas de impedir que o burnout aconteça é periodicamente medir o MBI e planejar a escala de plantão de acordo com os resultados de cada um dos integrantes da equipe.  

Leia também – Team Topologies: aumente a eficiência do time de DevOps

escala de plantão

Quais outras medidas podem evitar o burnout em equipes de tecnologia?

Monitorar métricas que indiquem o nível de burnout dos colaboradores da equipe é apenas uma das formas de evitar o burnout em equipes. 

Porém, para garantir que a rotina de trabalho não se torne maçante para a equipe, certificando-se de que sempre haverá um colaborador de plantão, capacitado para atender demandas emergenciais, existem outros cuidados que podem ser considerados essenciais.

Prepare a equipe de colaboradores para atendimento on call

Lidar com equipes que realizam plantões e atendimentos on call sempre requer mais cuidado no tratamento do que em situações usuais de trabalho em horário comercial.

Por isso, é fundamental que a relação entre gestores e colaboradores seja transparente, honesta e profissional.

Algumas medidas práticas e simples, porém normalmente negligenciadas, são muito importantes para constituir uma relação de confiança e reciprocidade, o que evita possíveis problemas no futuro.

Primeiramente, é preciso definir claramente as responsabilidades e condições do trabalho on call ou dos períodos de plantão. Isso é fundamental para evitar um sentimento de desorganização, sobreposição de trabalho e, consequentemente, de frustração dos colaboradores.

Outro problema comum, especialmente em empresas de tecnologia, é não delegar as tarefas emergenciais que surgem aos profissionais adequados, o que causa mais problemas de estresse e sentimento de impotência diante do trabalho. Nesse sentido, é sempre importante nomear um ou dois profissionais de confiança para cada tipo de situação emergencial que pode surgir e não manter apenas um nome no qual se deposita toda a confiança. 

Também é importante aprimorar constantemente a gestão da escala de plantão, antecipando possíveis problemas e gerenciando a equipe segundo o desgaste que pode ser detectado por meio do MBI.

Por fim, as compensações para o trabalho on call, ou para o tempo real dedicado aos plantões, são uma excelente forma de evitar os sintomas de burnout e de gratificar esses profissionais com os quais a sua empresa pode contar quando precisa. Essas compensações podem se dar na carga horário na forma de dias de folga extras, horas flexíveis, base salarial maior, pagamento de horas-extras, bonificações, entre outros benefícios.

Adote uma ferramenta de gestão para escala de plantão

No início deste conteúdo, mencionamos que muitas empresas, mesmo as do segmento de serviços de tecnologia, ainda realizam boa parte do trabalho de recursos humanos, incluindo o gerenciamento das escalas de plantão, usando ferramentas simples, como planilhas do Excel.

Contudo, além de demandar um maior esforço de organização para manter o gerenciamento funcionando, esse tipo de ferramenta não dá conta de gerenciar e automatizar uma série de outras informações e dados relacionados à gestão das equipes.

Por isso, a nossa dica final é considerar adotar uma ferramenta de gestão de colaboradores, capaz de integrar e automatizar o gerenciamento das equipes e escalas de plantão, inclusive, medindo os índices de burnout. Uma ferramenta como o Yerbo, por exemplo, integra todos os recursos indispensáveis para o gerenciamento de uma equipe que atua com produtos e serviços digitais.

As escalas de plantão têm recebido muita atenção dos gestores, devido à tendência de burnout em algumas equipes. Por essa razão, conhecer as principais métricas, saber quais são mais sensíveis para cada negócio e monitorá-las corretamente deve estar entre as prioridades das médias e grandes empresas de serviços tecnológicos. 

Se você está à frente de uma equipe de tecnologia, não deixe de se informar mais sobre as tendências de gestão na área. Confira o nosso conteúdo exclusivo sobre Indicadores de Confiabilidade (SRE) para squads autônomas e veja como a One Platform pode ajudar a monitorar índices de confiabilidade em times de desenvolvimento!

Participe também da nossa Comunidade SRE no Discord para muita troca de conhecimento e novas conexões!

Escala de plantão: saiba como não deixar o time entrar em burnout

escala de plantão

A Síndrome de Burnout pode ser associada a sentimentos de exaustão, negatividade e impotência do indivíduo em relação ao seu trabalho, e é uma preocupação cada vez mais real e presente em empresas, especialmente naquelas que usam escala de plantão e não podem se dar ao luxo de ficar sem uma equipe preparada para emergências.

Hoje, devido à alta dependência de serviços de tecnologia para a vida pessoal, profissional e financeira de milhões de pessoas, o burnout também tem sido discutido com grande atenção nas empresas do segmento de TI. 

Por isso, neste conteúdo, buscamos divulgar algumas informações importantes para evitar que o burnout interfira no trabalho e prejudique clientes, colegas, acionistas e, é claro, a própria equipe. 

Além disso, a seguir, explicamos melhor o que é burnout e o que isso tem a ver com a escala de plantão, como gerenciar a escala e quais outras medidas podem garantir o bem-estar da sua equipe. Confira!

Burnout: o que isso tem a ver com a escala de plantão?

Gerenciar a escala de plantão é uma atividade de rotina da área de de recursos humanos que, em princípio, pode parecer simples, mas que envolve, ou deveria envolver, a consideração de diversos fatores. 

Profissionais que trabalham em plantões estão, normalmente, mais suscetíveis à pressão e exaustão. Assim, os casos que se agravam sem que a equipe de RH perceba podem resultar em burnout do colaborador, criando uma reação que pode desencadear diversas circunstâncias desagradáveis para a empresa.

Por isso, as empresas que lidam com plantões precisam monitorar e cuidar da saúde emocional da equipe para garantir a estabilidade desejada no trabalho.

A realidade, porém, é que muitas empresas ainda gerenciam suas escalas de plantão com pouco rigor, usando planilhas de Excel que podem se tornar um pesadelo quando é necessário lidar com muitos funcionários e realizar, por exemplo, simples substituições na escala.

Como medir o burnout para gerenciar a escala de plantão?

Com o crescente interesse das empresas e corporações sobre o tema do burnout e suas consequências, já existem alguns métodos para medir o burnout nas equipes e usar as informações obtidas para melhorar o gerenciamento das escalas de plantão.

Um estudo de 1981 sobre burnout, produzido por Christina Maslach, desenvolveu métricas para aferir o burnout em indivíduos. Como resultado, o trabalho chegou ao chamado Maslach Burnout Inventory (MBI), ou Inventário de Burnout de Maslach, que indica e mede o nível de burnout se baseando em três critérios:

  • Exaustão ou total falta de energia para trabalhar.
  • Sensação de cinismo ou negatividade em relação ao trabalho ou a uma atividade.
  • Sensação de impotência ou de sucesso reduzido no trabalho.

Uma pontuação negativa nos três critérios acima indica que a pessoa está em processo de burnout e precisa dar mais atenção para a saúde mental e emocional.

Logo, uma das formas de impedir que o burnout aconteça é periodicamente medir o MBI e planejar a escala de plantão de acordo com os resultados de cada um dos integrantes da equipe.  

Leia também – Team Topologies: aumente a eficiência do time de DevOps

escala de plantão

Quais outras medidas podem evitar o burnout em equipes de tecnologia?

Monitorar métricas que indiquem o nível de burnout dos colaboradores da equipe é apenas uma das formas de evitar o burnout em equipes. 

Porém, para garantir que a rotina de trabalho não se torne maçante para a equipe, certificando-se de que sempre haverá um colaborador de plantão, capacitado para atender demandas emergenciais, existem outros cuidados que podem ser considerados essenciais.

Prepare a equipe de colaboradores para atendimento on call

Lidar com equipes que realizam plantões e atendimentos on call sempre requer mais cuidado no tratamento do que em situações usuais de trabalho em horário comercial.

Por isso, é fundamental que a relação entre gestores e colaboradores seja transparente, honesta e profissional.

Algumas medidas práticas e simples, porém normalmente negligenciadas, são muito importantes para constituir uma relação de confiança e reciprocidade, o que evita possíveis problemas no futuro.

Primeiramente, é preciso definir claramente as responsabilidades e condições do trabalho on call ou dos períodos de plantão. Isso é fundamental para evitar um sentimento de desorganização, sobreposição de trabalho e, consequentemente, de frustração dos colaboradores.

Outro problema comum, especialmente em empresas de tecnologia, é não delegar as tarefas emergenciais que surgem aos profissionais adequados, o que causa mais problemas de estresse e sentimento de impotência diante do trabalho. Nesse sentido, é sempre importante nomear um ou dois profissionais de confiança para cada tipo de situação emergencial que pode surgir e não manter apenas um nome no qual se deposita toda a confiança. 

Também é importante aprimorar constantemente a gestão da escala de plantão, antecipando possíveis problemas e gerenciando a equipe segundo o desgaste que pode ser detectado por meio do MBI.

Por fim, as compensações para o trabalho on call, ou para o tempo real dedicado aos plantões, são uma excelente forma de evitar os sintomas de burnout e de gratificar esses profissionais com os quais a sua empresa pode contar quando precisa. Essas compensações podem se dar na carga horário na forma de dias de folga extras, horas flexíveis, base salarial maior, pagamento de horas-extras, bonificações, entre outros benefícios.

Adote uma ferramenta de gestão para escala de plantão

No início deste conteúdo, mencionamos que muitas empresas, mesmo as do segmento de serviços de tecnologia, ainda realizam boa parte do trabalho de recursos humanos, incluindo o gerenciamento das escalas de plantão, usando ferramentas simples, como planilhas do Excel.

Contudo, além de demandar um maior esforço de organização para manter o gerenciamento funcionando, esse tipo de ferramenta não dá conta de gerenciar e automatizar uma série de outras informações e dados relacionados à gestão das equipes.

Por isso, a nossa dica final é considerar adotar uma ferramenta de gestão de colaboradores, capaz de integrar e automatizar o gerenciamento das equipes e escalas de plantão, inclusive, medindo os índices de burnout. Uma ferramenta como o Yerbo, por exemplo, integra todos os recursos indispensáveis para o gerenciamento de uma equipe que atua com produtos e serviços digitais.

As escalas de plantão têm recebido muita atenção dos gestores, devido à tendência de burnout em algumas equipes. Por essa razão, conhecer as principais métricas, saber quais são mais sensíveis para cada negócio e monitorá-las corretamente deve estar entre as prioridades das médias e grandes empresas de serviços tecnológicos. 

Se você está à frente de uma equipe de tecnologia, não deixe de se informar mais sobre as tendências de gestão na área. Confira o nosso conteúdo exclusivo sobre Indicadores de Confiabilidade (SRE) para squads autônomas e veja como a One Platform pode ajudar a monitorar índices de confiabilidade em times de desenvolvimento!

Participe também da nossa Comunidade SRE no Discord para muita troca de conhecimento e novas conexões!

Share:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Quanto dói perder talentos em tecnologia?
Programa de Formação em Engenharia de Confiabilidade (SRE)

Experimente agora, grátis!